ESPECIAL SÃO MAXIMILIANO - Parte 2

São Maximiliano e a Milícia da Imaculada


Durante a permanência de São Maximiliano em Roma, na Itália reina soberana a maçonaria, com comportamento abertamente hostil para com a Igreja Católica: manifestações, cortejos, faixas que celebram Satanás e injúrias para com o Papa são vistas com freqüência.

Maximiliano sente-se interpelado por estes fatos: “é possível que nossos inimigos devam trabalhar tanto e prevalecer e nós permanecermos ociosos sem nos empenhar em uma ação? Não temos, talvez, armas mais poderosas, como a proteção da Imaculada? A “sem mácula” vencedora de todas as heresias não cederá campo aos inimigos”.

Na noite de 16 de outubro de 1917, em uma sala do Colégio Internacional dos Freis Menores Conventuais, em Roma, na rua São Teodoro nº42, Maximiliano Kolbe, juntamente com outros seis irmãos, funda a Milícia da Imaculada (M.I.).




O objetivoFazer com que todos os homens se convertam a Deus, mesmo aqueles que não são católicos e crentes, em especial os maçons; e que todos tornem-se santos, sob a proteção e pela mediação da Virgem Imaculada.

As condições1. Consagrar-se totalmente à Virgem Imaculada, colocando-se livremente como instrumento dócil e generoso em suas mãos.
2. Ter consigo a Medalha Milagrosa.
3. Inscrever o próprio nome junto a uma sede canonicamente erigida.

Relacionados aos seus interesses

0 comentários